GREVE NACIONAL DE PROFESSORES A PARTIR DE 3 DE JANEIRO

Face ao cenário  anunciado de uma Greve Nacional de Professores, convocada a partir de 3 de janeiro e por tempo indeterminado,  divulgam-se os procedimentos a seguir, nos diferentes estabelecimentos de ensino deste Agrupamento:

2.º e 3.º Ciclo: EB de Aver-o-Mar (escola-sede) 

A escola deverá funcionar, nestes dias, em condições normais, podendo os alunos não ter atividades letivas, em função das ausências dos professores. A situação será aferida regularmente, funcionando os serviços com normalidade, como seja o caso do bufete e cantina. A situação que pode limitar a presença dos alunos prende-se como os alunos que estão no CAA (Unidade) – cfr nota final.

Se a adesão à greve for elevada e não houver condições para que a maioria dos alunos esteja com atividades, poderá ser tomada a decisão de suspensão das aulas, de forma a que os alunos regressem a casa, sendo os cenários analisados diariamente e para cada um dos turnos.

1.º Ciclo e JI 

Em face dos cenários conhecidos, poderá dar-se o caso de o JI/Escola não reunir os meios necessários para funcionar, uma vez que é necessária a presença do professor titular, para assegurar o serviço com os alunos. Como tal, e a título excecional nestes dias, os encarregados de educação apenas poderão deixar os filhos na escola às 9h00, confirmando na portaria se estão reunidas todas as condições para o bom funcionamento da escola, ou seja, se o professor titular está ao serviço. Nas escolas com JI que têm AAAF (Atividades de Animação e Apoio à Família), os encarregados de educação só podem deixar as crianças à hora habitual se estiverem reunidas as condições para o seu funcionamento. Nas escolas com CAF, os encarregados de educação têm de contactar a escola às 9h00 aferindo se a Escola está a funcionar normalmente. Caso o JI/Escola não reúnam as condições necessárias para o seu funcionamento as crianças/alunos terão que ser recolhidas.

Alunos com transporte especial (Unidade – CAA) 

A título excecional nestes dias, a empresa de transportes só poderá deixar os alunos na escola, depois de verificar se a mesma (entenda-se a Unidade) irá funcionar. Caso não reúna as condições para funcionar, a empresa levará os alunos de regresso a casa. Cada encarregado de educação deve equacionar esta hipótese e conversar/combinar com o motorista qual a hora prevista de regresso a casa, caso a Unidade não funcione.

Carlos Gomes de Sá

Author Carlos Gomes de Sá

More posts by Carlos Gomes de Sá

Leave a Reply

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.

Help-Desk