Aver-o-Mundo: pontes gastronómicas “A-saborear-o-mundo”

No âmbito do projeto Aver-o-Mundo,  continuamos a dinamizar a componente da capacitação da comunidade educativa para interculturalidade, dinamizando ações diversas, ajustadas ao atual conceito de pandemia, que limita muitas das interações presenciais.

Assim, e se no caso da música, recorremos ao online para mostrar diferentes sonoridades, também em termos gastronómicos, e na impossibilidade de o fazer de forma aberta, recorremos ao digital para estabelecer mais uma “ponte”, desta feita gastronómica. Abaixo levantamos um pouco o véu, melhor, o testo, desta iniciativa!

Em termos históricos, o projeto Aver-o-Mundo resulta da uma candidatura nacional apresentada pelo Agrupamento de Escolas de Aver-o-Mar, Póvoa de Varzim, ao FAMI (Fundo Asilo, Migração e integração) que visa, desde logo, a integração de alunos imigrantes, com ênfase para os oriundos de fora da União Europeia. Nos dois anos letivos de aplicação do projeto, os alunos migrantes destinatários principais do projeto são mais de 60, originários de países como o Brasil (cerca de 60%), Bielo-Rússia, Canadá, Suíça, Uzbequistão, Angola, Moçambique, Venezuela, a que se juntam alunos oriundos de França e Itália.

O projeto assenta em quatro Eixos de intervenção, relevando para esta atividade a componente “Capacitação da Comunidade Educativa para a Interculturalidade”. Quando o projeto foi desenhado, há quase dois anos, estavam longe de imaginar este cenário de pandemia, que limita as interações presenciais, pois estava prevista a realização, entre outros, de workshps culinários, para divulgação desta manifestação, que tem muito de  cultural, envolvendo alunos, família, professores e funcionários,  em momentos que, certamente seriam de integração cultural, pois estavam associados a outras atividades: workshops musicais, exposições e tertúlias.

Havendo que adaptar estas atividades ao novo contexto, e inseridas nas “Semanas de Interculturalidade”, depois das pontes musicais, estamos construir pontes gastronómicas. Assim, e para além de trabalhos feitos em sala de aula, promovemos a apresentação de três pratos, representativos de Portugal, no caso e atendendo à região, a pescada poveira, a que juntamos um prato africano e um brasileiro, confecionado por elementos da comunidade poveira, onde nos inserimos, e por um encarregado de educação. Para além de falarmos da sua história, apresentaremos no vídeo final, numa colaboração com a Radio Onda Viva, parceira deste “Aver-o-Mundo”, as diferentes fases da confeção. Novidades saborosas no início de maio!

Destacamos, deste já, a colaboração do casal Robson e Erluci Maciel, proprietários do restaurante Take Away Food&Ball, em Aguçadoura, e pais de alunos do Agrupamento, e da D. Cândida, proprietária da Churrasqueira Ibérica, na Póvoa de Varzim, que confecionaram, respetivamente, “Bobó de camarão” e “Muamba de galinha”, receitas que em breve aqui divulgaremos.

Fica o repto para, de forma segura e quando as condições o permitirem, visitar os locais e saborear estas iguarias.

No fundo, e como diz o projeto, nestas “Semanas de interculturalidade”, estaremos a “Construir Pontes Gastronómicas”, estaremos “a -saborear-o-mundo”.

Carlos Gomes de Sá

Author Carlos Gomes de Sá

More posts by Carlos Gomes de Sá

Leave a Reply

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.

Help-Desk